top of page

Projeto de lei garante proteção aos consumidores idosos

Assinatura física de consumidores idosos ou representantes legais será obrigatório para adquirir empréstimos.


Segundo dados da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), desde o início da pandemia as tentativas de golpes financeiros contra idosos aumentaram 60%. Para combater esse cenário, o vice-líder do governo, o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB), apresentou projeto de lei 143/2024, que estabelece a necessidade de assinatura física de consumidores idosos para a contratação de operação de crédito de qualquer modalidade em instituições financeiras e entidades. 


A legislação tem o objetivo de proteger os consumidores idosos, garantindo que eles tenham a oportunidade de revisar os termos do contrato de crédito pessoalmente e assinar fisicamente o documento. “O projeto vem como importante mecanismo de proteção para evitar fraudes e abusos financeiros contra essa parcela da população, que pode ser mais vulnerável a práticas comerciais desonestas. Portanto, a exigência de assinatura física dos idosos para operações de crédito é uma medida de proteção adicional, complementar às outras leis e que visam proteger os direitos dos consumidores brasileiros”, argumentou Almeida.


A lei proposta pelo parlamentar baiano assegura que qualquer operação de crédito realizada por pessoa idosa ou por representante legal será realizada mediante contrato em meio físico e colheita de assinatura. Daniel afirma que as práticas de golpe financeiro serão dificultadas caso a assinatura por escrito de pessoas idosas passe a ser um requisito para a contratação de operações de crédito. “Contatos telefônicos ou mensagens de texto não serão mais suficientes para induzir a erro aqueles que hoje são vítimas”, finalizou. 


Foto: Mario Agra / Câmara dos Deputados

Commentaires


Daniel_Logo_2023.png
bottom of page