Sessão solene celebra 49 anos e repele desmonte da Embrapa

Atualizado: 8 de jun.


A Câmara dos Deputados realizou nesta terça-feira (26) sessão solene para homenagear os 49 anos de fundação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.

O evento, que atende a requerimento (REQ 327/2022) apresentado pela deputada Érika Kokay (PT-DF), fez parte da mobilização de entidades populares do setor agrícola em defesa da empresa e por uma Embrapa pública, democrática e inclusiva.

Instituição científica criada com o objetivo de desenvolver tecnologias, conhecimentos e informações técnico-científicas voltadas para a agricultura e a pecuária brasileira, a Embrapa é a nova empresa pública na mira do desmonte promovido pelo governo Bolsonaro.

Para o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), ao longo de seus 49 anos de atividades, a empresa demonstrou extraordinária capacidade para contribuir com desenvolvimento do país, fortalecer a agricultura, procurando enxergar o potencial produtivo de cada região brasileira.

“É impossível pensar na pujança que tem a agricultura em nosso país sem reconhecer o papel da Embrapa, na agricultura familiar e no agronegócio”, afirmou na tribuna.

O parlamentar destacou a importância dos técnicos e pesquisadores da empresa, que “assumem seu trabalho como uma causa para o desenvolvimento do nosso país, da nossa agricultura” e criticou o desmonte que vem sendo promovido pelo governo federal.

Segundo Daniel Almeida, a política de cortes orçamentários, perseguição a servidores e falta de investimento em pesquisa tem como resultado o estrangulamento da Embrapa. “Mais do que nunca, é necessário salvar esta empresa, que está ameaçada. Ela precisa, e vai continuar sendo uma empresa pública, com a vocação de ser uma estatal sintonizada com os interesses do Brasil”, enfatizou.

Empresa

Criada em abril de 1973, a Embrapa é uma empresa pública, com sede em Brasília, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Suas unidades de pesquisa espalhadas pelo país são especializadas em assuntos diversos, que vão do algodão (na Paraíba) ao gado de leite (Zona da Mata mineira), passando por agrobiologia (Rio de Janeiro) e arroz e feijão (Goiás).

Entretanto, a Embrapa completa 49 anos em um cenário desafiador, ante a perspectiva de uma anunciada reorganização institucional que preconiza enxugamento nos seus quadros e a possibilidade de abertura da empresa para a iniciativa privada.

marca-horizontal-2.png